4 Graus

Rio de Janeiro e Recife, 2004

Alexandre Vogler
A obra do artista plástico carioca Alexandre Vogler abrange trabalhos, individuais ou coletivos, relacionados ao contexto público e aos sistemas de comunicação. No projeto “Atrocidades Maravilhosas”, realizado em 2000, Vogler convidou uma série de artistas a utilizar o lambe-lambe como linguagem para intervenção. Os lambe-lambes são cartazes de grande formato, impressos geralmente em serigrafia ou tipografia móvel e que costumam ocupar os muros das cidades com anúncios de shows populares. Esse projeto ficou conhecido a partir de um documentário no qual é registrado todo o processo de trabalho, desde a impressão até a colagem nas ruas e a reação das pessoas.

O lambe-lambe foi experimentado pelo artista em várias outras intervenções, como em “Base para unhas fracas” (2008), um cartaz que simula a propaganda de um esmalte com a imagem de uma mão feminina com unhas vermelhas e compridas cobrindo parte de sua vagina.  Em 2004, Vogler criou o projeto “4 Graus”, que consiste em uma série de lambe-lambes que exibem imagens dos quatro graus de celulite acompanhadas de laudos e orientações médicas em linguagem científica. O trabalho causa estranhamento ao tocar de forma realista num dos maiores fe-tiches do brasileiro, a bunda. Nessa ação, a sexualidade feminina não é abordada a partir de uma estética publicitária, que padroniza o corpo e manipula digitalmente as imagens para produzir uma falsa realidade. Ao contrário, os lambe-lambes mostram imagens de mulheres reais, como as que circulam todos os dias pelas cidades, e não de mulheres objetificadas pela publicidade.

Nas obras, o artista evidencia a natureza do universo publicitário, que ocupa e privatiza o espaço público, criando ima-ginários homogeneizantes de consumo. Suas intervenções criam subversões das mensagens normalmente veiculadas pela publicidade, gerando estranhamento e atravessando os sistemas de comunicação instituídos.

////

 

The work of artist Alexandre Vogler encompasses works, both individual and those based in artist’s collectives, relating to the public context and communication systems. In the project “Atrocidades Maravilhosas” [Marvelous Atrocities], created in 2000, Vogler invited several artists to utilize the “lambe-lambe” (the glued-on street posters) as the media, the language to be used for the intervention. These posters are large, generally printed with silk screens, or a mobile printing device, and usually occupy the walls of the cities with announcements of popular shows. This project became known because of a documentary which shows the entire process of the work, from printing to gluing them in the streets, along with people’s reactions.

The “lambe-lambe” was tested by the artist in several other interventions, like in “Base para unhas fracas” [Base for weak finger nails], a poster that simulates the advertising of nail polish with the image of a woman’s hand with long, red nails covering part of her vagina. In 2004, Vogler created the project “4 Graus” [4 Degrees], which consisted of a series of “lambe-lambe” posters that exhibit images of the four degrees of cellulite, accompanied by reports and medical orientation in scientific terms. The work causes a sense of awkwardness upon realistically touching on one of the biggest Brazilian fetishes, the ass. In this action, feminine sexuality is not approached based on an advertising aesthetic, which standardizes the body and digitally manipulates the images to create a false reality. On the contrary, the posters show images of real women, like the ones who circulate around the city every day, and not of the women objectified by advertising.

In the works, the artist shows evidence of the nature of the advertising universe, which occupies and privatizes the public space, creating homogenized imaginations of consumption. His interventions create subversions of the messages usually connected with advertising, generating awkwardness and traversing the instituted systems of communication.